segunda-feira, junho 18, 2007

A vida em 15 polegadas

Pela manhã, ao acordar, faço o nome do Pai, dirijo umas palavras ao Criador e levanto-me como alguém pronta a entrar numa operação salva-vidas.
Penso: Senhor, este dia tb tem que dar certo! É a melhor alternativa pra mim... me ajuda!

Então, enqto os filhos ainda dormem, ligo o pc, encontro com um ou outro amigo pra trocar umas palavras, vejo alguns emails, entre segunda e terça esquento a cabeça em preparar boas aulas e assim vou vivendo.

Vejo a vida por uma tela de 15 polegadas...
bato-papos por uma tela de 15 polegadas...
encontro com meu marido em uma tela de 15 polegadas...
exponho minhas idéias em uma tela de 15 polegadas...
e o mundo lá fora não me vê...
as pessoas lá de fora não me visitam...
quem se importa com o fato de eu estar do lado de cá ou de lá do meu portão?
Estranho isso... que diante de uma tela de 15 polegadas sinta-se viver mais que fora dela.
Que mundo é este?

Ainda hj lendo um post do João, recordei-me da minha infância em que as crianças brincavam livremente na rua com os coleguinhas das mais variadas brincadeiras, ou qdo nos sentávamos nas calçadas apenas pra rir de nada, de tudo... os carros pediam licença buzinando pra conseguirem passar por entre nossa "queimada".
A vida era mais simples... mais saboreada para uma criança.

E agora? Como estamos vivendo?
Não nego e confesso aqui: às vezes me incomoda muito gostar e sentir-me tão bem frente a uma tela de 15 polegadas.
A vida passando lá fora, poderia se ter tanto a fazer e eu aqui, no meu mundinho entre as paredes do meu lar, onde realmente me sinto segura.

Queria nem ter tempo pra estar aqui...
Queria não sentir vontade...
Deixar de lado a válvula de escape.
Mas por ora, tem-me feito bem é o que importa.
Quem sabe um dia diminuam-se as proporções!

13 comentários:

Lorita disse...

Jac, eu tenho medo disso sabia?
Tenho medo dessa modernidade fria, embora sei que haja vida do outro lado... por isso sempre faço questão de lembrar de olhar o céu azul, administrar meu tempo em frente ao pc [cara eu tenho calo de mouseeeeeeeee]. Pra dar mais tempo pra mim, meus livros, amigos e familia, cancelei a net da minha casa, assim passo um fim de semana na presença de quem está mais ao meu redor!

Boa semana pra vc.

Ah, vou te likar, viu?
Bjm

Marcelo disse...

Eis algo que ando pensando muito.
Tratar de cuidar de minha vida real e deixar um pouco de lado essa telinha reluzente.
Mas tenho tantos amigos aqui...
Não é fácil mesmo.
Mas sempre vejo o céu azul lá fora, passeio, vou ver quem me cerca.
Me recuso a sentir-me preisioneiro dos pixels.
Bem interessante seu texto, Jac.

Beijinhos.

*Clara* disse...

Pois é, querida.

Sinto-me assim, exatemente como vc. Mas não por ser viciada nisso aqui, confesso que que não sou. Mas, sou tão só, vivo tão só, que acaba que não me resta outra alternativa, senão estar aqui, rodeada de pessoas lindas e queridas, assim como vc.

Beijo.

Ácido Poético disse...

Pois é Jac, eu exalo um amor ácido... espero que tenha gostado e volte, pois adorei seu cantinho também. Aliás, desabafar foi necessário e brilhante!

Um beijo
Brunø

Marcelo disse...

Realmente não entendo quando achou que não seria bem vinda em meu blog oou msn...
Sim, é sempre bem vinda.
Aqui e acolá.
Não gostou dos meus bolinhos de cenoura? =)

Muito bom reler você, menininha Jac.

Smack!!!

Girassol disse...

Li num outro blog sobre esse tema hoje.
Parece-me que a preocupação é geral, e que todos nos sentimos tocados pela reflexão.
São mundos diferentes, o importante é que nunca esqueçamos que esta "realidade virtual", não substitui a vida lá fora.
Mas, inevitavelmente aqui construímos relações, criamos laços e descobrimos sentimentos igualmente verdadeiros.
Então, com peso e medida, e um equilíbrio saudável, acredito que dê para conciliar estes dois mundos paralelos.

Beijos

Cin disse...

"Mas por ora, tem-me feito bem é o que importa"
Vc disse tudo aqui, não preciso dizer mais nada.

Adorei sua visita e comentário no blog, volte qdo quiser pois será sempre bem vinda
bjos e linda semana flor!

paty disse...

Feliz e Iluminado dia!!

Quando as tempestades da vida
Surgem escuras à minha frente,
Me recordo de maravilhosas palavras
Que uma vez eu li.
E digo a mim mesmo:
Quando pairarem nuvens ameaçadoras,
Não dobre suas asas
E não fuja para o abrigo.

Mas, faça como a águia,
Abra largamente as suas asas
E decole para bem alto,
Acima dos problemas que a vida traz.

Pois a águia sabe
Que quanto mais alto voar,
Mais tranqüilos e mais brilhantes
Tornam-se os céus.

E não há nada na vida
Que Deus nos peça para carregar
Que nós não possamos levar planando
Com as asas da oração.

E ao olhar para trás
Verá que a tempestade passou,
Você encontrará novas forças
E ganhará coragem também.
Tenha um Excelente última semana !

Diva disse...

Axo que isso acontece com a maioria de nos... Ler esse post me fez pensar em tanta coisa... enfim, axo que tambem vejo a vida numa tela de 15 polegadas!
Bjs meus

o alquimista disse...

Para reflexão as tuas palavras...

A lonjura é a distância da viagem, a idade não cobre os rochedos, passam ventos de encantamento descobrindo mil e um segredos, tantas histórias, tanto caminhar, quanto tempo leva a viagem das pedras e se o sol não voltasse no amanhã achas que a lua sorria para elas?...


Boa semana

Doce beijo

João Araújo disse...

olá, tudo bem?

Altamente reflexivo seu post de hoje, a vida se passa pelos dois lugares, dentro e fora de uma tela. Sentados sentimos os mesmo sentimentos e reações como se estivéssemos de fora da tela. Mas confesso: A vida é apenas um vento que se passa, rapidamente iremos e outro viram, mas neste intervalo entre o nascer e o deitar, temos que fazer a diferença e deixar nossos nomes ou fazer algo que possamos ser lembrando no mínimo por nossos familiares que tanto faz parte da nossa história. Nossa vida é um caminho que nos dá duas escolhas diariamente....

Obrigado por ter colocado meu blog como referência neste dia, Quanto privilégio. :)

Bjs e até o próximo post

Edna Federico disse...

A vida moderna é isso: videogames, internet, blogs, orkut e afins.
Também sinto muita falta da infância que tive...brincadeiras inocentes na rua, correndo livremente, sem medo de assaltos, sequestros, atropelamentos.
Como podemos soltar nossos filhos para fazer isso no mundo de hoje?
Procuro me policiar e policiar meu filho contra os excessos da tecnologia...um pouco de TV, um pouco de internet e muito, muito de convivência em família e brincadeiras.
Dosando e vivendo...é assim!

Marco disse...

Oi Jac!
Então... creio que aconteceu algo e o meu coment não foi... Vai agora então! risos...

Antigamente quando eramos "pirralhos", brincávamos de pique-esconde com outras crianças na rua.
Hoje "brincamos" de nos esconder atrás de uma tela de 15 polegadas!

O bacana é analisar as mudanças que toda essa tecnologia nos trouxe...

Éramos mais felizes? Nossos filhos e netos são (serão) privilegiados com tanta "modernidade"???

Beijos...