sábado, agosto 18, 2007

Falando tb de Drummond...

Tb, pq já li sobre Drummond no blog do R Lima e inda'agora ouvi uma reportagem a respeito no "Jornal da Globo".
Então, como estava aqui de bobeira driblando a noite, e como a poesia citada na reportagem me lembrou meu pai, que se chama Raimundo...fui num site do autor e capturei este citado trecho em homenagem a meu pai que tanto amo.

"(...)Meu Deus, por que me abandonaste
se sabias que eu não era Deus,
se sabias que eu era fraco.

Mundo mundo vasto mundo
se eu me chamasse Raimundo
seria uma rima, não seria uma solução.
Mundo mundo vasto mundo,
mais vasto é meu coração. (...)"


(Poema de Sete Faces)

Mas tb gosto muito deste:

"O mundo é grande e cabe
nesta janela sobre o mar.
O mar é grande e cabe
na cama e no colchão de amar.
O amor é grande e cabe
no breve espaço de beijar."

(O mundo é grande)

Com Drummond, por hj, me despeço.

13 comentários:

Cadinho RoCo disse...

Que maravilha deparar com a sensibilidade de Drummond, o poeta que descobriu uma pedra no camimho.
Cadinho RoCo

Cadinho RoCo disse...

Desculpe, mas o comentário foi sem meu endereço.
Cadinho RoCo

Nilson Barcelli disse...

Drummond é imortal.
As suas poesias são intemporais.
Bom fim de semana.
Beijinhos.

Lorita disse...

particularmente gosto do terceiro poema. Ah como é mundo é grande! rs...

Bjo amada

Edna Federico disse...

É muito bom ler Drummond em vários blogs.
Beijos

LUZIMAR disse...

lINDO MINHA AMIGA TAMBÉM GOSTO MUITO DAS POESIAS DELE.
SÃO ETERNAS, E MARAVILHOSAS.
TENHA UM LINDO DIA HOJE E SEMPRE.
UM GRANDE BEIJO A VOCÊ E AOS SEUS.

Ivan disse...

Para mim, o melhor poema dele que conheço, aliás, são dois: Eu Etiqueta, que fala de personalidade, autenticidade e desvalorização de nossas prórpias idéias; e O Homem, as Viagens, que fala da importância de se conviver.

Dois poemas lindos.




Meus blogs:
Http://umcasal.blogspot.com
ou
Http://ijdlf.zip.net

Carol disse...

Lindos poemas!!

beijos querida!

Nilza disse...

Olá, Jac!

Drumonnd é inesquecível e seja qual for o pedacinho de sua obra será bem escolhido e a sua esolha não poderia ter sido melhor.
Beijos e boa semana pra vc

Mamanunes disse...

Olá Jacque!
Não há como não se encantar com Drummond, não é e mesmo?
Olha esse:

Impossível escrever um poema - uma linha que seja - de verdadeira poesia.
O último trovador morreu em 1914.
Tinha um nome de que ninguém se lembra mais.

Há máquinas terrivelmente complicadas para as necessidades mais simples.
Se quer fumar um charuto
aperte um botão.
Paletós abotoam-se por eletricidade.
Amor se faz pelo sem-fio.
Não precisa estômago para digestão.

Um sábio declarou a O Jornal que ainda falta
muito para atingirmos um nível razoável de
cultura. Mas até lá, felizmente, estarei morto.

Os homens não melhoram
e matam-se como percevejos.
Os percevejos heróicos renascem.
Inabitável, o mundo é cada vez mais habitado.
E se os olhos reaprendessem a chorar seria um segundo dilúvio.

(Desconfio que escrevi um poema.)


Carlos Drummond de Andrade

Um beijo querida.

Cadinho RoCo disse...

Retorno em busca de novidade, Mas vim antes da hora. Volto depois.
Cadinho RoCo

Edson Marques disse...

JAC,


Viva Drummnond, em todos os Sentidos!


E o teu Pai, também.


Abraços, flores, estrelas..

.

O Profeta disse...

Hoje tinha decidido pintar-te
Com matizes de profunda ternura
Perdi na memória a cor do teu sentir
A tua voz de água cristalina e pura

Hoje a lembrança é lança de fogo frio
É punhal afiado em tua mão
A incerteza tolda a razão ao amor
Perdido bem no fundo do coração


Boa semana
beijinho