quinta-feira, março 19, 2009

Perdoar é AMAR!

Tem uma coisa que admiro em mim: NÃO SOU RANCOROSA!
Mais uma coisinha: Não fico jogando o erro do passado na cara dos outros.


É muito comum as pessoas ficarem tirando mágoas antigas lá do fundo do baú pra inflamar uma discussão e pra diminuir o outro.
Marido x esposa, patrão x subordinado, familiares entre si, casais de namorados, amigos (com um certo grau de intimidade), etc.

Eu não faço isso, não!
Não que eu não sinta vontade de agir assim vez ou outra, mas é uma opção que fiz. Não acho que valha a pena, nem acho que acrescente de bom em mim agir assim com o outro.
Quem gosta de passado é museu, não é?

Pra mim, o que passou, passou!
O erro cometido não vai se corrigir.
Quanto mais importância você dá ao erro do outro, menos condição você terá de ver a vontade do outro em acertar com você.
Além do mais é muito injusto e cruel você culpar o outro por algo que ele não pode mudar ainda que sinta imensa vontade.

O que nos impede o perdão tem como nome "RANCOR".
O rancor cega! O rancor escurece o coração.

Perdoar é dar uma nova chance.
Perdoar é passar uma borracha sobre aquela pisada na bola e recomeçar.
Quem diz que perdoou, mas fica remoendo mágoas e atirando-as sobre o outro, não sabe o que é perdão.
Isto é desrespeitar a humildade que o outro teve de te pedir "desculpas",
isto é menosprezar o empenho do outro em investir em acertos com vc,
isto é fazer o outro de "capacho"... sentir prazer de dar uma pisadinha sempre que puder.

Mas claro, errar com o outro deve funcionar como uma exceção à regra de não errar; de preferência, errar sem intenção de, erro culposo e não doloso.

Portanto, trato aqui daquilo que merece perdão.
Há de fato erros que exigem demais do coração alheio.
Há que se dar um tempo pra que o barro seque, mas se não secar...
Tb dou um tempo pra ser perdoada, mas se eu não for... paciência.
Não resisto ser capacho por muito tempo. Quem aguenta?

Se um dia eu me deparar com um destes erros que vençam meu coração ou o coração alheio, que suplantem o verdadeiro perdão; permitir que ele torne minha relação uma mentira, não vou não! Me transportar de uma amizade para uma amizadezinha. Tsc... tsc... (isto lá existe?)
Tento fazer dar certo, mas assim como muitos sentimentos o perdão tem que ir e vir, tem que ser dado e ser aceito na maioria dos casos.
Se eu falhar em ser perdoada... resta-me assumir a falha num ponto final.
Não sou pessoa pra relações "capengas", sabe!
Relações "capengas" estarão sempre gerando dor.

Luto pra que o sentimento maior, oriundo do amor que deve haver entre os seres humanos prevaleça.
Mas o que andam fazendo do amor? Como andam entendendo o amor?
A falha no ato de perdoar passa pela falha do aprendizado de amar.

Que errar é humano, não se questiona.
Então aplica-se a máxima: "Quem nunca errou, que atire a primeira pedra."
Se eu erro, se você erra... é bom aprender a lidar com o único antídoto pra esta falha humana:
O antídoto está no ato de perdoar.
Perdoar está no ato de amar.

Será que é devaneio demais tudo isso?

4 comentários:

Alice disse...

agora vc arrebentou !! adorei !!


beijosss

@line-;-- disse...

estou neste processo de aprender a perdoar e deixar pra trás! consegui isso e gostei do resultado que isso me causou.

bjm amiga

Jaqueline Sales disse...

Diz Jean-Yves Leloup, "O corpo é o último que perdoa". E é verdade. Às vezes digo que perdoei, que já passou, mas no momento do abraço sinto o corpo retesado, tenso, o abraço é rapido, e evito sentir o outro um pouco mais. Isso não é perdão! Com dificuldades, hoje sei que não perdoo com facilidade, e é bem verdade que isso me angustia. Mas estou me trabalhando, Jack.

Perdão e Saudade andam juntas? Você só saberá se for aos Uivos da Loba.

BeijUivooooooooooooosssssssss da Loba

O Profeta disse...

Do Poeta!
Este ser de contentamento descontente
Que faz da contradição uma rua
Feita da palavra resistente

Que abre os braços aventura
À viagem da emoção plena
Que chora em cais de espera
Que sorri ao afago de brisa terna


Boa semana


Mágico beijo